100 Resilient Cities

Porto Alegre

Download Portuguese
Explore the Strategy

Follow our progress

Os sonhos são muitas vezes o início da história contada sobre as grandes conquistas. Até o aniversário dos seus 250 anos, que ocorrerá em 2022, ousamos sonhar com uma Porto Alegre mais resiliente. Esta Estratégia é como planejamos começar a tornar este conquista uma realidade.

Queremos que Porto Alegre, hoje referência mundial em processos participativos, avance também no enfrentamento dos seus riscos crônicos e agudos. Acima de tudo, desejamos ser um local onde se exercite a mais plena forma de colaboração entre governo, entidades, iniciativa privada, comunidades e cidadãos. Temos por ideal contar com o trabalho de todos na transformação do nosso Município em uma referência na construção de resiliência, inspirando cidades vizinhas de toda a América Latina e, talvez, repetindo com a resiliência o reconhecimento internacional do Orçamento Participativo.

1 Porto Alegre do ecossistema dinâmico e inovador Fomentar economias criativas, colaborativas e novas tecnologias.

2 Porto Alegre da cultura de paz Democratizar o acesso a educação de qualidade, à saúde preventiva e à segurança cidadã.

3 Porto Alegre da prevenção de riscos Possuir um sistema de prevenção de riscos e proteger famílias e evitar o desalojamento de pessoas.

4 Porto Alegre da mobilidade de qualidade Possuir um sistema de mobilidade que satisfaça às necessidades dos porto-alegrenses.

5 Porto Alegre da terra legal Possuir um processo de regularização fundiària capaz de eliminar as ocupações informais.

6 Porto Alegre do orcamento participativo e gestão resiliente Possuir um modelo de gestão participativa que promova a cultura da resiliência.

+ menu

1

Fomentar economias criativas, colaborativas e novas tecnologias.

Possuir uma economia diversificada que fomente economias criativas, colaborativas e novas tecnologias; desenvolver áreas degradadas da Cidade; explorar o potencial produtivo agrícola da zona rural e estimular a produção da agricultura orgânica e familiar.
Para concretizar este objetivo estratégico, a Cidade se compromete a alcançar um substancial progresso nas seguintes metas até 2022:

  1. Ecossistema inovador, baseado na interação orgânica entre as universidades, as empresas, o poder público e as comunidades locais.
  2. Dinamismo da Cidade baseado em economia da inovação.
  3. Economia diversificada e robusta com mais empreendedores em setores de tecnologia, de pesquisa e saúde.
  4. Produção agrícola orgânica capaz de contribuir significativamente para as necessidades de abastecimento da Cidade.

A iniciativa em destaque da cidade de Porto Alegre é a Revitalização do 4° distrito. A revitalização do 4o Distrito tem como objetivo a transformação de uma região de 892 ha, que possui carácter estratégico para o fortalecimento da economia da cidade e busca promover formas de explorar o potencial acumulado de uma região importante do Município.

Essa revitalização tem como fundamento o uso de novas tecnologias nas áreas da saúde, informação e comunicação e buscará a inclusão produtiva das populações vulneráveis, tornando a região aberta a novas oportunidades de negócios, trabalho e renda, principalmente para jovens abraçados por uma visão resiliente capaz de propiciar o enfrentamento de adversidades e de se desenvolver de forma harmônica e pacífica. A área deve representar o piloto de uma cidade que desejamos para toda Porto Alegre a partir do conjunto das outras iniciativas de suporte.

Valores da resiliência: O projeto terá obviamente muitos benefícios para a região do 4o Distrito mas também criará benefício para toda a cidade. Por exemplo, ao qualificarmos uma área degradada da cidade, Porto Alegre poderá atrair novos investimento que melhorem a economia global da cidade, diversificará a economia para ser mais global, criando novos centros de convivência para diversos grupos que vão desafogar outras áreas da cidade. Outras áreas degradadas da cidade poderão se basear no modelo de desenvolvimento para aplicar em seus territórios fortalecendo o planejamento de longo prazo de toda a cidade.

2

Democratizar o acesso a educação de qualidade, à saúde preventiva e à segurança cidadã.

Democratizar o acesso a educação de qualidade, à saúde preventiva e à segurança cidadã; focar na integração de concepções, práticas e sistemas; ampliar e qualificar de ações preventivas, restaurativas e colaborativas; reduzir as desigualdades sociais; desenvolver iniciativas voltadas para a garantia dos direitos fundamentais de identidade cultural, sexual, de gênero e de etnias. Para concretizar este objetivo estratégico, a Cidade se compromete a alcançar um substancial progresso nas seguintes metas até 2022:

  1. Sistema de saúde que valoriza a prevenção nas suas ações.
  2. Educação inclusiva e robusta, que oportunize às pessoas desenvolver suas capacidades e cidadania
  3. Segurança cidadã garantida através da colaboração de todos os cidadãos.
  4. Políticas de saúde, segurança pública e educação construídas de forma integrada e colaborativa.
  5. Redução das desigualdades como prioridade social da Cidade.

A Revitalização de centros comunitários tem como objetivo principal o de promover a cultura de paz nas comunidades e na Cidade através de espaços e atividades de convivência comunitária para grupos de jovens, idosos, mulheres, coletivos culturais, artísticos e outros. O centros atuarão como ponto de referência para acesso a informação, serviços e orientações em saúde, segurança e direitos humanos. Serão disponibilizados espaços para iniciativas sociais com o intuito de promover atividades e iniciativas voltadas à redução de desigualdades sociais e vulnerabilidades.

Os centros comportarão instâncias de justiça restaurativa e mediação de conflito, mitigando conflitos e reduzindo índices de violências nas comunidades onde estão inseridos. Assim como muitos centros comunitários, as atividades de suporte a serviço social são as principais dos centros comunitários. A parte nova disso será aproveitar esses espaços para servir como uma ponte para o desenvolvimento economicamente dos jovens ao criar espaços de aprendizagem para a inovação.

Valores da resiliência: Por natureza, os centros comunitário fortalecem o bem-estar individual, a coesão social e a resiliência das comunidades, mas também proporciona a oportunidade aos jovens de desenvolver suas capacidades profissionais de forma a aumentar suas rendas.

3

Possuir um sistema de prevenção de riscos e proteger famílias e evitar o desalojamento de pessoas.

Possuir um sistema de prevenção de riscos, principalmente os de inundação, alagamento e deslizamento organizado e efetivo; prevenir a ocupação de áreas suscetíveis a estes riscos; proteger famílias da perda dos seus pertences; evitar o desalojamento de pessoas; evitar acidentes que impactem o meio ambiente.


  1. Famílias capazes de resistir a perdas e danos em função das inundações, alagamento e deslizamentos.
  2. Infraestrutura de proteção contra inundações e alagamentos em plena capacidade de operação, mesmo em situações de extrema adversidade.
  3. Integração das instituições e processos de proteção contra inundações e alagamentos integrado, em plena capacidade de operação mesmo em situações de extrema adversidade.
  4. Sistema capaz de monitorar as condições ambientais da cidade de modo a protegê-la de acidentes ou degradação

A iniciativa em destaque é o fortalecimento da estrutura
e das ações
de defesa civil.
A constituição de uma nova organização de Defesa Civil para a Cidade de Porto Alegre tem o objetivo de incorporar novas demandas e realidades do sistema nacional de proteção e defesa civil para garantir maior capacidade de atendimento e organização das atividades. O fortalecimento buscará a capacitação contínua e o aperfeiçoamento do quadro de servidores para qualificar ainda mais a Defesa Civil Municipal, garantindo um atendimento cada vez mais e ciente para a cidade não somente nos momentos de crise mas principalmente nas ações prevenção de riscos.

Valores da resiliência: Ao qualificarmos o Sistema de Defesa Civil da cidade, melhoraremos o fluxo de informação que ajudará diversas secretarias da cidade e permitirá que o Sistema de Defesa Civil se bene cie de um melhor uso racional e acesse recursos de outras secretarias para desenvolver uma proteção mais e ciente dos cidadãos porto-alegrenses.

4

Possuir um sistema de mobilidade que satisfaça às necessidades dos porto-alegrenses.

Possuir um sistema de mobilidade que satisfaça às necessidades dos porto-alegrenses com modais alternativos integrados, trânsito desafogado, transporte público pontual, acessibilidade universal e calçadas sem danos ou irregularidades.


  1. Cidade que utiliza modais alternativos e integrados que atendam as diferentes necessidades da população.
  2. Cidade aberta a novas tecnologias que melhoram a mobilidade das pessoas.
  3. Cidade que utiliza práticas solidárias e compartilhadas de mobilidade.
  4. Pessoas atendidas com acessibilidade universal e calçadas adequadas para a sua locomoção.

A atualização
do Plano Integrado de Transporte
e Mobilidade Urbana (PITMURB) trata da integração dos modais da Região Metropolitana e cidade de Porto Alegre. A atualização utilizará o suporte de uma nova pesquisa Origem-Destino (OD), que ajudará a mapear o deslocamento diário da população da Região Metropolitana de Porto Alegre.

Valores da resiliência: Desenvolvimento econômico através da identificação e desenvolvimento de novas centralidades na cidade, e redução da desigualdade social ao permitir um melhor transporte para que os cidadãos acessem serviços da cidade.

5

Possuir um processo de regularização fundiària capaz de eliminar as ocupações informais.

Possuir um processo de regularização fundiária capaz de eliminar as ocupações informais; fornecer serviços básicos de água, energia elétrica, saneamento básico e transporte a todos; exercitar o diálogo com todos os envolvidos baseado na confiança, colaboração e transparência.

  1. Gestão integrada e colaborativa dos processos de regularização fundiária.
  2. Legislação própria e adaptada às necessidades da cidade para agilizar a regularização fundiária.
  3. Participação de todas as partes interessadas nos processos de regularização fundiária.
  4. Informações transparentes e acessíveis sobre todas os procedimentos relativos aos processos de regularização fundiária.

A principal iniciativa é a revisão
da legislação
de regularização fundiária. Qualificação da atual legislação de regularização fundiária flexibilizando critérios em áreas consolidadas e viabilizando a sua legalização, com o objetivo de agilizar processos de regularização fundiária de áreas já consolidadas, aperfeiçoar o processo de regularização fundiária de novas áreas e mitigar a carência habitacional da cidade.

Valores da resiliência: Qualificando os processos de regularização fundiária, a cidade facilitará o desenvolvimento de novos negócios através da atração de novos investimentos e o acesso de populações vulneráveis a serviços públicos básicos.

6

Possuir um modelo de gestão participativa que promova a cultura da resiliência.

Possuir um modelo de gestão que promova a cultura da resiliência em todas as ações da Cidade e um Orçamento Participativo qualificado que contribui para o aumento da resiliência da Cidade.


  1. Cidade que planeja ações para o aumento contínuo da resiliência e seu permanente aperfeiçoamento
  2. Cidade que conhece, mede e fomenta a contribuição do poder público, setor privado, das universidades e do terceiro setor para o aumento da resiliência da cidade
  3. Comunidades locais capazes de utilizar os sistemas de informação de fácil acesso para tomada de decisão a seu favor
  4. Redes regionais de resiliência articuladas para o fortalecimento contínuo da resiliência individual e comunitária em todas as regiões de Orçamento Participativo

Introduzir a lente da resiliência como cultura de planejamento no modelo de gestão da cidade e no Orçamento Participativo, com o objetivo de qualificar a tomada de decisão e construir ações que tenham maior impacto no aumento da resiliência da cidade. A implantação de mecanismos de medição e promoção de iniciativas para o aumento da resiliência poderão ter implicações significativas na qualificação do planejamento da cidade e na redução dos prejuízos e danos causados por choques agudos e tensões crônicas que Porto Alegre enfrenta.

Valores da resiliência: Ao aplicar a Lente da Resiliência nas ações estratégicas da Prefeitura e demandas do Orçamento Participativo, a Cidade qualifica sua tomada de decisão, melhora a coesão social e fortalece o entendimento a resiliência.

Our Resilience Team

  • Cezar Busatto

    Chief Resilience Officer

  • Patrick Fontes

    Deputy Chief Resilience Officer

    @pwfontes
  • David Monteiro

    Deputy Chief Resilience Officer

Read Porto Alegre Resilience Strategy